Então que eu não sou alérgica a trigo (todas comemora)

trigo, esse lindo
trigo, esse lindo

Lembram que outro dia eu disse que estava de castigo, investigando uma alergia alimentar a trigo? Pois bem, felizmente (e bota felizmente nisso!) foi um alarme falso.

Senta que lá vem história…

Ai gente, só me faltava ter alergia alimentar hein? Bom, na verdade alergia alimentar eu tenho, mas são coisas bem específicas e que dá pra passar a vida inteira sem nem chegar perto. E a suspeita também incluia côco, castanhas, nozes e amendoim. Mas o trigo é uma história completamente diferente.

Porque o trigo – e tudo o que é feito com ele – é quase uma instituição social. Ter qualquer restrição alimentar é muito difícil sozinho dentro da sua casa, mas experimenta sair com a galerë pra ver como a coisa fica 500 vezes pior. Todo mundo mandando ver numa pizza e você comendo batata assada (que por coincidência parecia ser o pior restaurante do shopping). Ou você sair prum barzinho e ficar 15 minutos olhando pro cardápio pra acabar pedindo batata frita (e podem me chamar de herege mas eu detesto batata frita). Churrasco, sem poder comer pão. Almoço de família e nada do macarrãozinho da nonna. E a cara de piedade das pessoas.

Tem também a hora da pressa, porque ainda não inventaram nada mais prático do que enfiar um queijo dentro de um pão quando a gente está atrasada pra ir pra aula ou não quer jantar porque ainda são 5 da tarde. Haja pão de queijo nessas horas, mas nem sempre dava tempo pra assar uma fornada decentemente.

E por último teve a questão psicológica – nesses 40 dias eu passei o tempo todo com fome! E fome me deixa ranzinza, portanto eu passei 40 dias num humor insuportável. O mais incrível é que eu continuei comendo (principalmente biscoito de polvilhom nunguento mais ver biscoito de polvilho na frente). Mas sempre com fome.

Ai por que você não aproveitou esse tempo pra fazer uma dieta? Porque eu não faço dietas, se eu fosse propensa a fazer dieta não tava aqui escrevendo uma monografia sobre o trigo.

Os cursos que eu estava fazendo eu larguei sem pensar duas vezes. Acordar cedo, atravessar a cidade de busão pra passar vontade? Nem pensar.

Fora que eu pensei muito em como ficaria este blog aqui. Eu já tenho um alergias a cosméticos que me levaram a fazer um blog sobre isso, mas alergia alimentar seria uma coisa muito nova pra mim, as pessoas iriam cair aqui no blog e me fazer perguntas que eu não iria saber responder. No fim, eu tenho certeza, o blog iria acabar se tornando um fardo. Até comecei a tirar as receitas com trigo daqui e guardar num outro blog, uma espécie de arquivo morto (e agora vou ter o trabalho de voltar tudo pra cá de novo hahaha). De qualquer jeito foi bom pra rever os arquivos do blog.

E tem uma última coisa: não se se aconteceu com vocês, mas desde a suspeita de alergia parecia que o mundo inteiro só falava no assunto. Até episódio de House com alergia a trico aconteceu!!! A quantidade de piadinhas sobre alergia que brotaram nesse período foi tão absurda que eu criei um Tumblr só de desaforo.

* * *

Nesses 40 dias a Internet, essa linda, me ajudou bastante a procurar novas receitas. Pra quem cortou o trigo, cortar a aveia e a cevada era moleza, então comecei a procurar receitas para celíacos, apesar de alergia e intolerência serem coisas diferentes.

Vou ser bem honesta com vocês: fontes que deveriam ser confiáveis sobre receitas sem glúten forneceram as piores receitas que eu já fiz na vida, com ou sem trigo. Eram receitas que quando eu começava a fazer já sabia que estavam erradas, mas como esse mundinho sem trigo ainda era muito novo pra mim, eu ia na fé. Joguei muita, mas muita coisa fora.

E os produtos sem glúten de supermercado? Gezoos! Não desejo aquilo nem pro meu pior inimigo! Os pães são horríveis – o único um pouco melhorzinho era o de linhaça quando esquentado na sanduicheira, mas linhaça é justamente uma das minhas alergias. O únicos biscoitos sem glúten que eu achei no mercado eram extremamente doces, mesma coisa com os bolos. Sem falar nos preços.

Uma coisa ficou muito clara: quem tem alergia ou restrição alimentar precisa aprender a ir pra cozinha e se virar dentro de casa. Meu pão de queijo caseiro me salvou, e quando eu encontrava massa de tapioca pronta no supermercado era uma alegria. Os biscoitinhos sem glúten no café da manhã me impediam de começar o dia já lembrando da alergia. E levar sua própria comida pras festinhas pode ser meio embaraçoso no começo, mas depois você se acostuma, o importante é não deixar a vida parar por causa disso.

Alguns blogs muito bons foram minha referência nesses dias, e eu tinha feito aqui um caderninho de receitas provisório só com as receitas sem glúten. Não cheguei a fazer todas as receitas, mas tenho tudo salvo aqui e até o final da semana vou fazer um post com todos os links. Comprei um livro de receitas também, que eu vou resenhar direitinho logo logo.

* * *

Ao contrário do que eu costumo fazer no meu blog de esmaltes, eu não vou descrever aqui como foram os exames, porque a Internet não tem diploma de medicina. Se você desconfia que tem uma alergia ou intolerância alimentar, procure um médico! Não adianta nem vocês me perguntarem nos comentários os detalhes sobre os exames que eu fiz, porque eu não vou responder. Na Internet a gente lê coisas horríveis sobre todo grau de alergia, e pode ser que não tenha nada a ver com o nosso caso. Procura um médico alergista e peça pra ele todos os exames possíveis. E se você não sentir confiança no médico, procure outro até encontrar alguém interessado em investigar seu caso.




  Seguir

5 respostas para “Então que eu não sou alérgica a trigo (todas comemora)”

  1. alessandra disse:

    Oi Kika ! Respeito sua opinião, mas viver sem gluten não é o fim do mundo…. sou celíaca há 5 anos e seguindo dieta há mais de 2 anos.
    Tudo é uma questão de costume…. vc acostuma a viver sem gluten.
    Já comi muita porcaria sem gluten e que me custou bem caro….. pq não sei pq as´pessoas acreditam que algo “especial” tem que custar MUITO mais caro que o trivial… mesmo que a farinha de arroz custe o mesmo preço que a de trigo.
    Já fiz muito bolo/pão ruim até acertar a mistura de farinhas, até descobrir a goma xantana e até conhecer as pessoas celiacas cozinheiras e blogueiras da internet….. Hj acredito que o melhor investimento que fiz foi a minha maquina de fazer pão e olha que nunca tinha feito pão em casa há 2 anos atras.
    Sinto vontade de comer pizza? Sim. MAs hj como pizza com massa de pão de queijo de saquinho.
    Sinto vontade de pão frances com mortadela? Sim, muita. Mas só de pensar que se comer vou passar MUITO mal, desisto da idéia.
    Meu corpo hj rejeita o gluten como um invasor…. se como gluten, mesmo sem saber, exatas 2 horas depois começo a enjoar e 10 min depois vomito, vomito, vomito…..
    Se como gluten ? Sim, a ultima vez foi a quase 1 ano para experimentar as esfirras que meu filho ia levar para a escola….. comi 6. Mas só a lembrança desse dia me arrepia.

    Tudo é uma questão de opção….. ou necessidade.

  2. Kika disse:

    Não é o fim do mundo, mas é um choque no começo. Não é fácil, mas desses 40 dias a parte mais fácil de levar foi a dieta, o difícil é todo o resto. Meu caso era alergia e não doença celíaca, e pra mim ter desistido de dois cursos porque não podia ter nem contato com o trigo nesse período foi muito complicado. O impacto que a alergia alimentar gera na vida da gente vai muito além da comida, mas talvez eu não tenha deixado esse meu ponto de vista bem claro no post.

  3. Tenho uma amiga celíaca e ela faz várias receitas legais. Uma é pizza com massa de pão de queijo, como a primeira menina disse nos comentários, e falam que é ótima.

  4. Danny disse:

    Olá meninas! Eu sou alérgica a glúten e pra mim o choque inicial foi a pior parte. Pensar que eu teria que mudar todo o estilo de vida era a morte pra mim. Ficava pensando que minha vida social iria mudar entre outras besteiras. Mas essa fase passou! Assim como a Alessandra, sinto muita falta do pãozinho francês (e na real é o que eu mais sinto falta), mas o resto levo numa boa. Meus amigos já sabem dessa minha alergia e sempre existe uma boa opção pra eu acompanha-los. Quando vão pedir pizza, já levo a minha de casa. Não é nenhum bicho de 7 cabeças, mas poder comer de tudo dá bem menos trabalho. A vantagem de ter alergia é que começamos a prestar atenção em tudo que comemos. Quando não tinha isso, comia qualquer porcaria na rua. Hoje cortei lanches gordurosos e muita coisa ruim da minha alimentação (pizza gordurosa, empanados, etc). Ah Kika! Andei me identificando muito contigo: também sou alérgica a esmalte e quando estava fazendo meus exames para alergia a glúten, também tive esses mesmos pensamentos que você. Mas depois que descobre a alergia, a gente acaba aceitando e tudo melhora!!Que bom que seus exames deram negativos!!! A única tristeza é que a partir de agora seu blog terá muitas receitas com gluten..rs… bjs

  5. Kika disse:

    Ai Dany, prometo que vou tentar postar algumas receitas sem glúten.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *